Acabei de “viajar” numa microssérie da BBC e vim correndo contar pra vocês.

Já contei aqui  a minha fascinação pela escrita de Jane Austen. Ela é simplesmente a melhor romancista de todos os tempos. #crazy

Pois bem, estava eu revirando os blogs da vida e fazendo um “limpa” nos meus favoritos quando encontrei um link para um vídeo no youtube e era para uma microssérie, como disse anteriormente.

O único detalhe é que a série é baseada em um livro da Jane (já estou íntima). O mais famoso dela, ouso dizer: Orgulho e Preconceito.

Das adaptações dos livros desta autora, as que mais gosto são as que trazem as palavras deste livro para a TV.

Já vi alguns filmes e seriados baseados nesse livro e adoro (inclusive o de 2005 <3 ), mas essa série em 4 capítulos intitulada  “Lost in Austen” me surpreendeu.

Basicamente conta a história de uma jovem mulher que é viciada no livro “Orgulho e Preconceito” e sonha em viver naquela época cheia de cordialidade, educação… essas coisas.

Quando, numa noite de leitura dedicada ao livro, ela escuta um barulho no banheiro e quando vai até lá e vê Elizabeth Bennet, que encontrou um portal do porão de sua casa para o banheiro de Amanda Price.

E então elas trocam de lugar.

Para dar andamento a história, Amanda decide ser a “liga” da história e tenta fazer com que siga-se o enredo tal como foi escrito por Jane.

Mas ela acaba bagunçando tudo e se apaixonando pelo Sr. Darcy.

O final é como toda leitora do #teamDarcy gostaria que fosse, se fosse possível trocar de lugar com a Elizabeth.

Tudo bem que quando o seriado começou e eu vi que eles não estavam seguindo a história do livro, eu quase morri do coração. Mas relaxei e fui ver aonde aquela ofensa ao romance mais lindo do mundo ia parar.

Nesse seriado, Amanda faz menções há uma outra série que foi feita, e a mais fiel até agora, que foi exibida em 1995, também pela BBC e até faz o pobre Sr. Darcy refazer uma das cenas feitas inicialmente por Colin Firth.

Lost in Austen  é muito divertida e rapidinha de ver. (tem vídeo no Youtube com os quatro episódios). Mais que recomento assim como o livro, o filme de 2005 e a série de 1995.

“Deus me livre! Esta seria a maior infelicidade de todas! Achar agradável um homem que decidimos odiar! Não me deseje esse mal.”

Tags

Compartilhe

Sobre o autor

Sofro de transtorno bipolar... Eu acho. rsrs sou meio doida, meio normal (aquela velha história de metade cheio ou metade vazio). Adoro ler, adoro cinema, adoro chocolate, adoro escrever. Há quem diga que até levo jeito. Tem gente que gosta de mim e do que escrevo. Tem gente que me odeia e mesmo assim, sem assumir, adora o que eu escrevo hehe. Sou convencida e tímida. Sou de câncer (se alguém se liga nessas coisas). Sou ouvinte, mas pouco falo. Sou simples e sou confusa. Pois é... sou Odyle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *