Livros: dicas, compras, desabafos e e-books

Já é de conhecimento geral da nação que eu sou viciada em livros.

Adoro ler. Só não o faço mais por conta da faculdade ( que graças a meu bom Deus está acabando). Mas tenho uma média boa, contando que limito meu tempo de leitura a 30 minutos antes de dormir todos os dias, sendo um pouquinho a mais nos fins de semana.

Nesse ritmo, chego a ler de dois a três livros por mês. Pra quem não tem tempo é mais do que muita gente por ai…

tudo bem que não vieram os 5, mas me foi cobrado o preço da promoção. o 5° tinha saído de estoque
tudo bem que não vieram os 5, mas me foi cobrado o preço da promoção. o 5° tinha saído de estoque

Sempre que dá  $ e meu cartão permite $ dou aquela passadinha nas livrarias virtuais. É sagrado dar aquela olhadinha no submarino ou na livraria saraiva todos os dias. E geralmente tem livros bem bons por lá a preços camaradas. Fato que aconteceu na semana passada. Quem, que é louco por livros, não pirou na promoção do “5 livros por 50 reais”?

É claro que eu aproveitei, né?

Falando nas lojas virtuais, sempre pesquiso bastante antes de comprar um livro e sempre passo longe das livrarias físicas. Claro, se eu resistir à tentação.

Mas tenho algumas dicas para dar  (vou enumerá-las, ok?) antes de chegar ao assunto que eu realmente quero com vocês.

1º dica: Olhe no extra. Sim. Isso mesmo. No site do supermercado extra sempre tem livros mais baratos e o frete também é amigo. além de chegar rápido. Para Brasília, são 4 dias em média.

2º dica: ao fazer cadastro nas lojas, nunca deixe de marcar aquela opção “ quero receber novidades e promoções da loja”. É por e-mails enviados graças à marcação dessa caixinha que recebo muitas promoções. Inclusive esta do submarino.

3º dica: pesquise por uma semana. Se você quer realmente aquele livro, cinco dias a mais ou menos não farão a diferença, certo? Então pesquise durante uma semana pelo titulo em várias livrarias. Vai que ele não entra em promoção?!

4º dica: atenção ao frete. Sempre que for comprar, preencha aquele campo de pesquisa do preço do frete. Às vezes o lugar onde o livro está mais barato não é o mesmo em que compensa comprar pelo frete.

5° dica: não economize abas no seu navegador. Abra em diversas lojas, escolha os mesmos livros e compare. Simples, rápido e eficaz.

6º dica : Faça o cadastro nesses sites de descontos, como o cuponation. Eles são ótimos! Acabei de comprar um livro que normalmente o encontro por R$ 30,00 e estava pela metade do preço. =D

A sétima dica deveria ser: se puder, procure o e-book! Mas não posso dar essa dica pelo simples fato de que não compensa.

De jeito nenhum! Sempre tive vontade de ter a experiência de ler um e-book, mas desisti.

E foi por um motivo bem simples: é muito caro.

O ultimo livro que quis procurar para ler neste formato era, “apenas” , RS 5,00 míseros reais mais barato do que o livro impresso.

Como assim o processo diminui bastante, e ai você imagina que o custo também, e ele só chega R$ 5,00 mais barato ao leitor?

Já falei aos quatro ventos e nas redes sociais, que livros digitais deveriam custar, no máximo, R$ 10,00. Para não ser tão radical, que chegue aos R$ 15,00.

Tais valores absurdos ainda me indignam mais quando a obra em questão é nacional.

E quero que entendam: não estou aqui dizendo que os livros nacionais são inferiores aos “importados” e que por isso devem ser mais baratos. Longe disso e muito pelo contrário. Estou dizendo que aqui existem leis – e não é qualquer lei, está na constituição federal de 1988, art 150, inciso IV, alínea b – que proíbem a instituição de impostos sobre livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua impressão, os e-books foram equiparados aos impressos e também são isentos destes mesmos impostos.

Mas, ainda assim, ele chega por não menos de R$ 30, 00  as mãos do leitor que por vezes deixa de prestigiar um desses livros e compra um do Nicholas Sparks por menos da metade do preço.

Não os julgo. Também dou mais valor ao poder de compra do meu dinheiro.

E o valor alto dos livros também leva o leitor a achar outras saídas como as traduções alternativas e os arquivos clandestinos em PDF. Não vou negar, já fiz isso. Mas não faço mais. Prefiro comprar, olhar a capa, namorar…. ahhhhh *suspiros*

Sendo assim e como já falei de mais a melhor forma de ter acesso aos nossos livros desejados é seguir a dica que todo especialista na hora de pechinchar : pesquise. E você nem precisa calçar seus tênis e sair de loja em loja pra isso.

Mas também podemos sugerir a nossa (querida para muitos e odiada por muitos também) Presidenta Dilma, que libere, junto com o PAC (quer acelerar mais o crescimento do país do que dando educação?), uma “Bolsa Livro”. Acho válida a ideia!

Tags

Compartilhe

Sobre o autor

Pseudo Nerd.
Canceriana (isso importa?).
Adoro escrever e ler. Viciada em filmes e seriados.
Conhecida por sentir as coisas alem do necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *