Construí um muro a meu redor.

Usei meus sentimentos, meu orgulho, minha força de vontade e os pedaços que foram soltando de mim ao longo dos anos…

Com ele pretendia ficar imune a algumas pessoas e a (suas) atitudes.

Cavei fundo para fazer o alicerce para que ficasse firme e não caísse a primeira ventania.

Pintei de preto para que absorvesse toda a luz ou cor que tentasse atravessar.

Coloquei arame e cacos de vidro no alto para que ninguém ousasse atravessar. Substituí, depois, por cerca elétrica para machucar quem tentasse.

Coloquei espelho nas quatro paredes ao meu redor para que pudesse me conhecer e me ver de todos os ângulos. Além de evitar a solidão.

Deixei o clima seco e a prova de lágrimas.

O muro era alto… Não dava pra olhar por cima dele…

Mas queria ver o que acontecia…

Decidi colocar uma janela.

Esses dias, a esqueci aberta.

Logo apareceram rachaduras nas paredes…

Desesperador!

Então, decidi que depois de quatro anos vou ter que fazer uma reforma.

Blindarei as paredes, colocarei câmeras de segurança com monitoramento 24h e estacas nas paredes internas.

Ninguém mais está seguro hoje em dia.

Compartilhe

Sobre o autor

Pseudo Nerd.
Canceriana (isso importa?).
Adoro escrever e ler. Viciada em filmes e seriados.
Conhecida por sentir as coisas alem do necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *