Achava uma coisa normal ter medo. Principalmente de cachorro (eu saia correndo ao ver um e isso não era nada bom porque ele corria atrás de mim #fail ), hoje em dia perdi o pavor e comecei a amar esse bichinho fofinho!

Mas outros medos vieram… e hoje alguns medos mais profundos me afligem.

Não sei como começou esse sentimento ou como posso pará-lo.

Ando com medo das pessoas, e o que elas podem pensar de mim virou um fardo.

Fico com medo de ser simpática e acharem que sou falsa, ou de ficar quieta e acharem que sou metida.

A desconfiança virou minha companheira. Posso resumir em uma mania de perseguição.

O medo de rejeição é intenso. Seja de amigos, de idéias de possíveis “amores”.

Tenho trabalhado minha vida no sentindo de não ouvir um não. E quando recebo um, é como uma dor física, sabe?

Anda machucando mais do que um tapa! 

Medrosa de mais.

Me dou por vencida fácil… se vejo que tem uma remota chance de não conseguir o que desejo pulo fora e fico só no SE…

E essa minha inércia tem me incomodado… me prendido… me sufocado!

Não sei como contorná-la ou expulsá-la da minha vida.

Mas, se serve de alguma coisa, sei que isso não é normal.

“O medo é como um laço que se aperta em nós
O medo é uma força que não me deixa andar…”

(miedo – Lenine)

Compartilhe

Sobre o autor

Pseudo Nerd. Canceriana (isso importa?). Adoro escrever e ler. Viciada em filmes e seriados. Conhecida por sentir as coisas alem do necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *