Mãos tremulas.

Geladas.

Ela sabia que esse momento chegaria.

Tão cedo…

Ou talvez tarde de mais.

Mas isso também pouco importava.

Já não suportava fingir.

Não aguentava mais suforcar o sentimento que nutria

Dividir já não a satisfazia.

Queria só para si.

Egoísmo?

Não… amor próprio… sim, ela tem

Com o coração partido…

Os olhos vermelhos…

Os “nervos” em frangalhos…

Era chegada a hora de dizer:

– Adeus

Compartilhe

Sobre o autor

Pseudo Nerd.
Canceriana (isso importa?).
Adoro escrever e ler. Viciada em filmes e seriados.
Conhecida por sentir as coisas alem do necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *