É tão bom quando encontramos alguém que não víamos há muito tempo, não é?

As novidades são contadas, informações são trocadas. Fala-se sobre o emprego novo, o namorado novo, os últimos filmes vistos e do mais novo livro de cabeceira…

Lembramos do que o outro gosta e sobre o que podemos conversar com tranquilidade e sem olhares tortos de incompreensão.

Conhecemos os olhares de cumplicidade quando surge uma fofoca e o tom de seriedade quando o assunto pede.

Falamos sobre decepções amorosas em tom de brincadeira e de experiências meio loucas que passamos e ficam escondidas em nosso subconsciente ou no passado – quase – esquecido.

Mas,  quando essa pessoa que você não via há muito tempo era você mesmo?

Perdido em seu mundo, procurando uma saída, o reencontro…

Quando, ao olhar no espelho, você não parece mais a mesma pessoa, mesmo reconhecendo-se ali através dos olhos daquela imagem refletida, está na hora de perceber onde ficou sua alma/verdadeiro eu/espírito ou seja lá o que você entenda por personalidade e felicidade.

Encontre amigos, procure seu novo ou velho caminho. Busque atalhos e reencontre a si mesmo.

E, com a certeza que você pode inverter o jogo, não se faça de rogado e declare: “eu era feliz e não sabia”…

 

Compartilhe

Sobre o autor

Pseudo Nerd.
Canceriana (isso importa?).
Adoro escrever e ler. Viciada em filmes e seriados.
Conhecida por sentir as coisas alem do necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *