Tava aqui a pensar sobre o tempo…

É um conceito bem abstrato e já foi vitima de vários filósofos, escritores, compositores, cantores… mas parece que  nenhum deles chegou a uma conclusão sobre a sua complicada simplicidade e nem eu chegarei .

Mas o tempo tem vários significados para mim…

Aquele tempo do relógio que fica a tiquetaquear atrapalhando o sono de uns, apressando a refeição de outros ou aquele que finge não andar para tantos que querem sair logo do trabalho numa sexta feira.

Ainda tem aquele tempo de espera numa fila de banco, aquela espera pela namorada que se arruma (que só levam 15 minutinhos), aquele tempo de nove meses pelo filho ou os segundos que demoram um beijo.

O tempo entre (ex)namorados, entre amigos entre você e você mesmo… tempo das coisas que não o completam mais.

O tempo pode ser um aliado para suas idéias/sanidade ou pode se tornar seu mais fiel inimigo.

O tempo ainda pode ser insuficiente para uns, longo de mais para outros… e ter como característica a irreversibilidade. Alguns ainda querem mudar alguma coisa naquilo que fizeram no tempo que passou ou preencher o tempo que perderam…

Mas o tempo é um só. E por mais que queiramos caracterizá-los ele sempre passará no seu ritmo..

nos provocando…

nos convidando a viver e seguir seu compassado ritmo… seu  constante tiquetaquear…

 

“Os dias talvez sejam iguais para um relógio, mas não para um homem.”
(Marcel Proust)

Tags

Compartilhe

Sobre o autor

Pseudo Nerd. Canceriana (isso importa?). Adoro escrever e ler. Viciada em filmes e seriados. Conhecida por sentir as coisas alem do necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *