Nunca fui a mais comunicativa das pessoas. Sempre tive problemas em iniciar uma conversa ou mesmo fazer novas amizades. Sou a filha caçula entre quatro irmãs, nunca tive que fazer muito esforço para pedir as coisas. Quando era criança era “bonitinho” ser tímida, e esconder-me na “saia de minha mãe” deixou de herança um apelido dado por um amigo da família :” agarradinho” (tipo aqueles bonequinhos que você aperta nas costas e eles grudam em você)… Hoje em dia a timidez não ajuda tanto na minha vida social. Sempre que dá, vou a um barzinho com amigos e fico meio calada, só respondo o que me é perguntando! É raridade iniciar um assunto, uma conversa, fazer um comentário, essas coisas…

Cheguei à conclusão que me saio melhor com palavras escritas do que pronunciadas!

Não sou também a rainha da “ação”. Enrolo-me com estratégias e gestos. Mas quando quero uma coisa, sempre dou um jeitinho de agir e conseguir o que quero. Sempre foi assim. Um defeito ou uma virtude?

Parte dessa reflexão toda se deve a um filme que acabei de ver: “maluca paixão”, com Sandra Bullock. Ela interpreta uma criadora de palavras cruzadas que é bem inteligente, mas que fala de mais e vai atrás do “quase-futuro-namorado”, que conhece num encontro as escuras, engendrado por seus pais. Ela em dificuldades em fazer amizades e quando sai nessa jornada ou perseguição, ela conhece várias pessoas e ,sem querer, faz algumas boas e verdadeiras amizades.

Daí vem outra pergunta: será que é preciso forçar situações ou as coisas que tem que acontecer acontecem normalmente, espontaneamente?

Somos pessoas diferentes e nos encontramos nessas diferenças. Alguns falam de mais, outros escrevem de mais… amam de mais…fingem de mais…

A inteligência atrapalha? O medo de não se fazer entender é um problema? Tornar-se enfadonha é um estigma que se pode superar com o tempo?

E ser singular, saber usar as palavras com inteligência e usar a inteligência por meio das palavras sem importar-se com a opinião do outro, é errado?

É errado ter opinião? É errado ser diferente? Querer conhecer as pessoas, saber como agir com elas é tão ruim assim? É quando se é uma boa ouvinte?

Até que ponto a timidez atrapalha?

 

Tags

Compartilhe

Sobre o autor

Pseudo Nerd. Canceriana (isso importa?). Adoro escrever e ler. Viciada em filmes e seriados. Conhecida por sentir as coisas alem do necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *